terça-feira, 26 de outubro de 2010

tatuagem japonesa

Horimono e Irezumi - 彫り物 - 入れ墨




A arte de tatuar evoluiu junto com a raça humana. Tornou-se um elemento diferenciador delicada cultural de cidades e aldeias dando uma identidade para o mundo. Nenhuma evidência tempo ou lugar onde apontando tatuagens originado no homem antigo. Uma das mais antigas tatuagens são encontrados gravados nas costas de um homem que foi enterrado nas encostas dos Alpes. Investigações posteriores sugeriram que seu corpo foi enterrado há 5.000 anos. Onde você pode ver as pessoas mais velhas também fascinada por esta arte. Muitas antigas múmias egípcias têm tatuagens simbólicas e religiosas, como as mulheres, apenas na cintura, utilizado para que a deusa da fertilidade, o anseio de ter uma família, seja para pedir a uma criança ou de lhe agradecer por um. Tatuagem no Japão, acredita-se que datam de pelo menos 10.000 anos. Os Ainu, o povo indígena mais antigo do Japão que tem sido relatado, é conhecido por ter usado tatuagens decorativas e para o desenvolvimento social de muitos milhares de anos.  Poderia ser cerimonial ou religiosa. Como a arte de Mehandi, decorando com henna tinta em uma tatuagem que só dura cinco semanas, mãos e pés para o casamento na Índia, e as comunidades judaica iemenita.

Durante o período Edo, a tatuagem começou a florescer como uma forma de arte. O uso de imagens das pinturas da cor de água tradicional, gravuras e livros ilustrados da época como os projetos, a maior recompensa para a paciência ea resistência da dor, seria uma tatuagem de imensa beleza. A palavra japonesa Irezumi (入れ墨, 入 墨, 文身, 剳 青, 黥 ou 刺青) refere-se à inserção de tinta sob a pele para deixar uma marca permanente, em outras palavras, a tatuagem. Essas marcas não são conhecidos os projetos como o estilo de tatuagem japonês, por isso, embora ambos os termos são usados alternadamente, horimono geralmente considerado o termo mais educado. Tatuagens para fins decorativos e espiritual no Japão está começando a se estender pelo menos a partir do período Jomon (cerca de 10.000 aC).


tattoos japoneses são chamados Irezumi (入 墨) ou horimono. Hoje em dia, as tatuagens tornaram-se mais comum entre as gerações mais jovens de japoneses, embora durante anos foi considerado um símbolo que distingue as classes mais baixas da sociedade, ou pior - a máfia japonesa Yakuza ou. De fato, muitos banhos públicos, ou sento (銭 汤) em todo o país não permite a entrada de "homens esclarecidos".


Irezumi são tatuagens que cobrem grandes áreas do corpo, como as costas, por exemplo. Historicamente. tatuagem foi no Japão por mais algum tempo. O povo Ainu, os primeiros habitantes do país, que serve tatuagens faciais e estaduais muitos relatórios que existiam há 1700 anos japoneses totalmente tatuado o corpo.











Quando o budismo chegou da China, ele estava com uma forte influência cultural, e trouxe uma conotação negativa para a tatuagem. Os criminosos eram marcados com tatuagens para punir e difirenciarlos o resto da sociedade.


De 1603 até 1878, conhecido como o período Edo, quando o Japão estava fechado para o mundo, a tatuagem japonesa tornou-se parte do ukiyo-e (浮世 絵), também conhecido como "retratos do mundo flutuante". prostitutas yujo (de alta classe cortesãs japonesas) tatuagens usadas para aumentar a sua atractividade para os clientes.


Em 1827 o artista ukiyo-e Kuniyoshi publicou os primeiros seis projetos Suikoden Heroes, um romance chinês com ilustrações das cenas heróicas envolvendo dragões, animais míticos, tigres ferozes, flores e imagens religiosas. A novela teve uma influência definitiva sobre os projetos Irezumi. A riqueza ea fantasia de Kuniyoshi impressões são usados mesmo nos dias de hoje por alguns artistas da tatuagem.


História da Tatuagem japonesa

Imperial governo Meiji (que durou até início do século passado) proibiu tatuagem considero uma relíquia bárbara do passado. Durante a primeira metade do século XX horimono ainda permaneceu uma arte proibida. Não foi até 1948 que a proibição foi oficialmente cancelada. No período Yayoi (300 aC-300 dC) foram observados desenhos de tatuagem em destaque pelos visitantes chineses. Tais projetos são acreditados para ter um significado espiritual e indicadores de status.




Para a cultura chinesa, que foi desenvolvido antes de os japoneses, a tatuagem foi um ato de barbárie. Quando o budismo foi trazido da China para o Japão levou a uma série de valores, de modo a forte influência da cultura chinesa, fez o povo japonês a mudar seu ponto de vista, como resultado, a tatuagem tem conotações negativas. Tornou-se uma forma de castigo, os detentos foram marcados com tatuagens para punir e identificá-las na sociedade.





No início do período Meiji (variando de cerca de 1.868 para cerca de 1912) o governo japonês, que desejavam projetar uma imagem de um Japão moderno para o Ocidente, tatuagens abolida e fez um comportamento ilegal foi quando Irezumi tomou a conotação de criminalidade. No entanto, os estrangeiros fascinados começaram a chegar no Japão, procurando as habilidades de artistas da tatuagem, e as tatuagens tradicionais continuaram no subsolo.



A tatuagem foi legalizado novamente em 1945, um boato é legalizar a demanda por soldados das forças de ocupação dos EUA, foi um triunfo para Horimono e Irezumi. Mas ele manteve a sua imagem de criminalidade. Por muitos anos, tatuagens tradicionais japonesas foram associados com a Yakuza, a máfia japonesa, e muitas empresas no Japão (como banhos públicos, centros de fitness e fontes termais) ainda proibição clientes com tatuagens.

O Irezumi tradicional está sendo conduzido por artistas especialistas tatuagem, mas é doloroso, demorado e caro: um terno orgânicos típicos tradicionais (que abrange os braços, costas, pernas e peito, mas deixando uma tatuagem livre no centro do corpo ) pode levar de um a cinco anos de visitas semanais para ser concluído e custou mais de US $ 30.000. 

 Tatuagens(significados) 

Samurai

Tatuar um samurai representa estar em acordo com os 10 mandamentos dos Samurais, levar consigo para o resto da vida esses ensinamentos, sintetizados em sua Imagem, vejam quais são:


1) Os quatro G's
Giri significa 'obrigação, dever, justiça' um forte laço que une as pessoas. Gisei exprime 'sacrifício' e representa a dedicação ao trabalho, mesmo afastando-se da família, temporariamente. Gaman quer dizer 'tolerância, perseverança, resistência', é agüentar o que às vezes pode parecer insuportável. Gambaru exprime 'esforço, persistência', a capacidade de se envolver de forma profunda e determinada, manter-se firme e forte.

2) O Ken (visão) e o Kan (conhecimento)
Através da visão do futuro, clara e significativa, a pessoa pode vislumbrar melhor suas possibilidades, que, junto com o conhecimento do contexto e dos detalhes, ajudam a tomar as decisões mais sábias.

3) Melhoria contínua (kaizen)
O samurai está sempre treinando e buscando a perfeição para ser um guerreiro melhor hoje do que foi ontem.

4) Desprendimento (Mu)
O desapego tem fortes raízes na cultura Zen budista que influenciou o Bushido. Os interesses do grupo devem prevalecer, não do indivíduo.

5) Caráter
Outro princípio filosófico que o Bushido importou do Zen foi a idéia de que o trabalho deve ser visto como uma forma de engrandecer o caráter.

6) Atitude mental (Mushin)
O código dos samurais diz: 'É difícil derrotar os inimigos; é fácil derrotar a si mesmo'. Todo o treinamento se concentrava no autoconhecimento que gerava autoconfiança e a decorrente segurança nas decisões em momentos de crise e dificuldade.

7) Confiança (Amae)
Por natureza, o samurai acredita, em primeira instância, que as pessoas, de uma forma geral, são boas e honestas. O pressuposto básico que permeia todo início de relacionamento é a confiança. Compartilhar refeições, trocar presentes, participar de fases da vida são formas de construir o 'amae'.

8) Habilidades escondidas (Ude)
Ao contrário da cultura ocidental, na oriental é comum manter-se escondido mostrando um perfil modesto, restrito, contido e reservado, sem vangloriar-se ou exibir-se gratuitamente, deixando para revelar suas mais importantes forças no momento apropriado e de forma estratégica.

9) Intuição (Haragei)
Entre os samurais, esta característica é fundamental aos seus instintos. Haragei significa 'pensar com o estômago' e era um dos traços que famosos empresários japoneses como Konosuke Matsushita, Soichiro Honda ou Akio Morita compartilhavam. A observância a detalhes, a visão holística, o conhecimento tácito e a disciplina constante na educação fazem parte deste treinamento.

10) Harmonia (Enman)
Das artes marciais à cerimônia do chá, da culinária às manifestações artísticas, tudo o que permeia a cultura japonesa contém elementos que se traduzem em equilíbrio, harmonia. Nos negócios, a paciência é uma virtude que se traduz em longas rodadas de negociação e a busca da compreensão da posição do outro ajuda a encontrar soluções.


Gueixa

Gueixa ("pessoa de artes") são mulheres japonesas que estudam a tradição milenar da arte da sedução, dança e canto. A palavra geiko é usada em Kyoto para descrever as gueixas. Gueixas eram muito comuns no século 18 e 19, e existem atualmente em menor número. Em português a grafia é Gueixa, em japonês a palavra é "Geisha" com a mesma pronúncia. Em Kansai é usada a palavra "geiko" e a palavra "maiko" é usada nos distritos de Kyoto. As gueixas não tem relação com a prostituição; porém, a palavra "geisha girl" tem, e foi usada durante a ocupação americana no Japão, denegrindo a imagem das gueixas. Na China a palavra gueixa é traduzida como "yi ji", que soa como "ji" e em chinês também tem relação com a prostituição. Mas, as gueixas entretem por meio da cultura e das tradições, não pelo sexo. No entanto, durante a Segunda Guerra Mundial algumas gueixas se tornaram prostitutas, o que também prejudicou a imagem delas, deturpando o conceito.

Para se tornar uma gueixa, primeiramente, era preciso, quando ainda criança ou adolescente, ingressar numa casa onde só viviam gueixas (oki-ya), comandadas por uma mulher (okami-san) já experiente, geralmente uma ex-gueixa. Estas casas se localizavam em comunidades só de gueixas (hanamachi, lê-se "ranamáti"), prevalecendo o poder feminino, ao contrário do que acontecia no resto do Japão.

As aprendizes (maiko) eram, desde crianças, especiais, isto é, eram consideradas crianças muito inteligentes e de beleza rara. Elas ingressavam na oki-ya fazendo trabalhos domésticos, como limpeza das casas, lavagem das indumentárias etc, para depois, quando adolescentes, começarem seu rigoroso treinamento para se tornar uma gueixa. Muitas destas crianças eram vendidas por suas famílias para estes estabelecimentos, mas, hoje em dia, a adolescente ingressa por decisão própria, não sendo muito aceita pela sociedade por isto.

Elas aprendiam as artes da dança, pintura, caligrafia, música, dicção, etiqueta, acrobacias, interpretação teatral e tinham que estudar muito, até atingirem uma perfeição, possuindo uma formação privilegiada das demais mulheres japonesas. As gueixas eram as únicas mulheres do Japão que possuíam a oportunidade de alcançarem uma independência, por nunca casarem e nem terem ocupações domésticas, dedicando-se inteiramente à profissão. Outra peculiaridade é o fato de poderem ter filhos, e serão privilegiados somente os do sexo feminino, ao contrário de todo o Japão.

Além de toda a formação intelectual, elas tinham de ter uma aparência impecável: vestiam kimonos cheios de adornos, que pesavam muitos quilos, uma maquiagem que cobria todo o rosto de branco (oshiroi), usavam tamancos de madeira (zori) e tinham que estar sempre alegres e com postura delicada.

As casas onde viviam eram sustentadas por um homem rico e, muitas vezes, casado - o danna. Geralmente esta figura possuía uma gueixa como amante, mas o fato de esta ter contato íntimo com algum homem era raro.


Tartaruga - União Familiar

Elas eram mulheres contratadas por homens poderosos e milionários para entretenimento e atração em festas, reuniões, jantares, e o objetivo delas era tratar seus clientes muito bem, proporcionando momentos de prazer, com boas conversas, para que este descontraísse e se sentisse inteligente. Elas os seduziam com sua beleza, dotes artísticos e encantamento. Cada momento com gueixas pode custar uma fortuna. É um mundo privado, misterioso e para poucos. Maori
Este projeto representa a família de 1º Grau - Filhos e Esposo (a).
A tartaruga simboliza a família e esta circundada de forma a abraçar e as três filhas, representada pelas flores de lótus entrelaçadas traz o significado de superar a todas as dificuldades sempre juntas.
A metade direita representa o pai onde as barbatanas da tartaruga possui dentes de tubarão que significa resistência, adaptabilidade e o Hei Matau (anzol) prosperidade e abundância.
O metade esquerda representa a mãe e tem ondas (mudança, mas também a fertilidade) e um toque, como um símbolo do vínculo que ela representa para a família.
O ponto central é onde todos os elementos se encontram indica família seja central em suas vidas.

 Lotus e OM - Perfeição e Sensibilidade

Perfeição e Sensibilidade

O lótus é uma flor, símbolo recorrente no Budismo, que representa perfeição; suas oito pétalas simbolizam os oito níveis de consciência,  que quando alcançado com plenitude permiti se ter um  melhor conhecimento interior e assim enteder o significado das vibrações do espaço. Já o OM, é uma é parte do processo, do mantra de que tudo foi gerado, o qual tem início a partir de baixo de nosso corpo, na área da nossa barriga,  passa por nossa garganta essas vibrações ao pronunciá-la  “ONNNNNN” suas vibrações atingem o do topo da nossa cabeça e purifica nossos pensamentos e contemplações, para restabelecer a nossa consonância com a essência do nosso mundo.


Carpa

A lenda diz que, a Carpa, tinha que atinguir a fonte do Huang Ho (Rio Amarelo), que atravessa todo o continente chinês, na época da desova, sendo necessário nadar e saltar vales cheios de cascatas até à montanha Jishinhan.
Diz-se que se a Carpa conseguir subir pela cascata Longman Falls (Portão do Dragão), ela se transformará em dragão. Em tatugens a carpa a subir significa força para alcançar os objectivos, determinação em superar um obstáculo, e a descer significa que os objectivos foram alcançados. Na mitologia diz-se que as Carpas sobem o rio para se tornarem dragões, e somente na volta podem ter aquela cara de "mau" como os dragões.


Dragão

O dragão é um clássico da tatuagem um dos motivos mais, popular para homens e mulheres, essa influencia vem da cultura oiental, precisamente da japonesa e chinesa.  Estes lagartos gigantescos, alados  são rememorativos as criaturas pré-históricas se assemelham aos dinossauros que vagaram a milhões de anos na terra, o fato é que ele pode ter existido fora da imaginação humana também.

O dragão representa os elementos beneficentes e malévolos, isso depende em qual parte do mundo ele é representado, exemplo claro disso é nossa cultura que tem o dragão como um símbolo do negativo, clara evidencia disso esta na imagem de São Jorge matando o dragão que representa o ser malévolo e assim se saído soberano na batalha vencida do bem contra o mal.

a China, estas criaturas mitológicas eram o símbolo do sobrenatural e de poder imperial, residindo nos reinos divinos, eles eram freqüentemente representados com  imagens ao redor de nuvens e trovão, assim se tornaram as deidades de chuva para os agricultores. Como uma criaturas de formas inconstantes, se tornaram mitos e lendas de cultura chinesa, é dito que o dragão é o antepassado de pessoas chinesas, no Japão, foi feita uma reivindicação semelhante quando um certo imperador declarou que ele era um descendente direto de um dragão poderoso e imortal. Não é surpreendente que a imagem do dragão apareça nos roupões dos imperadores, enquanto significando os poderes protetores do dragão como também o poder temporal do imperador.

Os Dragões representam os quatro elementos, conseqüentemente as histórias e mitos de dragões tem ralações com Ar, Água, Terra e Fogo, cada um destes dragões elementares tiveram características sem igual. Além dos dragões elementares havia também dragões especiais sem mito, lenda ou conhecimento, dragões que vigiavam tesouros ou dragões que eram encarregados com tarefas especiais tais como resolver problemas particulares, tais como os orixás de nossa cultura.

Lendas japonesas e mitos formavam a imagem dos dragões e tiveram nas Pérolas de que eles segurava, a representatividade de serem os guardiões da sabedoria e outras jóias ou artigos com propriedades mágicas que carregaram grande poder a esses que possuíram isto. O conhecimento japonês e chinês também está cheio de histórias de criaturas que, pelos atributos especiais, foram se transformado em dragões, como exemplo temos a  Carpa e Koi que pela sua perseverança em viagens e lutas, no final eram transformadas em dragões.

No nono século, o chinês incorporou o dragão em conceitos budistas e arte onde assumiu o papel de proteger Buddha e a lei sagrada de Budismo, eles passaram a serem vistos em cima de portas de templos e em paredes de tumbas, repelindo espíritos maus a imagens de dragões mais comuns são as que apareceram século 9º eles possuem um  corpo longo, escamoso, os pés com garras, chifres pequenos, olhos grandes debaixo de sobrancelhas fechadas, e dentes afiados e quase sempre pintados com as cores do arco-iris.

Os olhares serpentinos do dragão conotaram mal.

Nas batalhas por toda parte os impérios romanos e gregos, os guerreiros ostentaram o emblema do dragão como um símbolo de terror, foram vistos por Vikings em seus  navios, e na culturas Célticas era o emblema de poder soberano.

Onde quer que o dragão aparecesse, sua força e poder eram supremos, se usado como proteção, ou uma força para não ser superado.

Derrotar o dragão era o teste supremo de coragem humana e fortaleza são muitas as lendas de heróis da Grécia antiga que lutavam com os guardiães de lagos e portais.

Hoje nós vemos o dragão em todos seus aspectos fantásticos, divinos e monstruosos a astrologia chinesa diz que se você nascer debaixo do signo do dragão, você será um líder, embora um mandão, e em Feng Shui, quando você coloca moedas do ‘Yang ' Dragão amarrado junto com moedas do ‘Yin ' que chances de felicidades matrimoniais alcançarão alturas divinas.

O desígnio de tatuagem de dragão simboliza nobreza, magia, o poder de transformação e imaginação, perseverança, lealdade, poder e a habilidade para transcender o usual para esses que vencem os dragões do dia a dia, o dragão representa coragem, dever, honra e a frase mais nobre ao meu ver que se seguida a risca ou seja colocada em pratica no nosso dia a dia nossas vidas se transformariam, de forma surpreendente.

E quem entre nós não persegue grandes feitos que revelará o melhor de nós mesmos, se é esse o seu caso você deve se entregar ao poder extraordinário do dragão e telo como como um símbolo que marque seu corpo para eternidade.

Flor de Crisântemo

Flor de Crisântemo é uma das flores mais amplamente cultivadas no mundo, a popularidade do crisântemo cresceu tal que reina como a Rainha do Outono.

Séculos de procriação cuidados e empenho de cultivadores resultaram em uma gama extensiva de cores florais, formas, e tamanhos. Hoje, as cores dessa flor incluem várias sombras de rosa, roxo, vermelho, amarelo, laranja e branco.

 Esta flor nobre foi retratada freqüentemente como um símbolo de perfeição em muitas culturas.

O crisântemo foi cultivado na China para quase 2700 anos e era venerada por sua beleza e como uma erva medicinal acreditava-se que tinha o poder de vida como uma erva lendária, as raízes fervidas eram usadas como um remédio de dor de cabeça ou comido os  brotos jovens e pétalas em saladas também utilizavam as folhas para uma fazer  bebida festiva.

O crisântemo é um símbolo de simplicidade taoísta e perfeição. Outono é a estação desta flor, um tempo de tranqüilidade, perfeição, e abundância que seguem a colheita. Considerando que floresce direito no inverno, também pode simbolizar a habilidade para mediar entre vida e morte, entre Céu e Terra. O nome chinês antigo para crisântemo é " Chu ".
 

Se gostou, comente! Se não... comente também!